Jean Michel Basquiat
Jean Michel Basquiat

Jean Michel Basquiat

Biografia de Jean-Michel Basquiat

Jean-Michel Basquiat (1960-1988) foi um pintor neoexpressionista e grafiteiro norte-americano, o primeiro afro-americano a fazer sucesso nas artes plásticas de Nova Iorque.

Jean-Michel Basquiat nasceu no Brookling, Nova Iorque, Estados Unidos, no dia 22 de dezembro de 1960. Filho de Gerard Jean-Basquiat, ex-ministro do interior do Haiti e de Mathilde Andrada, de origem porto-riquenha. Seu pai emigrou para os Estados Unidos e tornou-se proprietário de um grande escritório de contabilidade.

Infância

Com 3 anos, Basquiat já mostrava aptidão para as artes, desenhando caricaturas e reproduzindo personagens dos desenhos animados da televisão. Com 6 anos, seu programa preferido era visitar o Museu de Arte Moderna de Nova Iorque e já possuía uma carteirinha de sócio.

Com sete anos, Basquiat foi atropelado e teve um dos braços dilacerado. Enquanto estava no hospital recebeu de sua mãe um livro de anatomia que veio a influenciar em sua arte quando mais tarde explorou a anatomia do corpo humano.

Após a separação de seus pais, Basquiat mudou-se com o pai e as irmãs para Porto Rico onde viveu entre 1974 e 1976. De volta à Nova Iorque, estudou na Edward R. Murrow High School, mas não concluiu o curso.

Carreira

Com 18 anos, Basquiat saiu de casa indo morar com alguns amigos quando passou a pintar camisetas e vender nas ruas de Nova Iorque. Com o amigo grafiteiro, Al Diaz, e morando nas ruas, passou a grafitar paredes e o metrô de Nova Iorque e assinar “SAMO”.

Enquanto os grafiteiros comuns preferiam agir na periferia, ele deixava suas mensagens enigmáticas nos arredores das galerias descoladas. Na primeira oportunidade, migrou para a pintura e depois o anônimo SAMO renegou a condição de grafiteiro.

Basquiat começou a aparecer em um canal a cabo e foi convidado para participar do filme Downtown 81, que relata o dia a dia do jovem artista que ficou conhecido internacionalmente, fez amizade com Andy Warhol e começou a pintar telas que foram comercializadas em Nova Iorque, Los Angeles, Zurique e Tóquio.

Os anos de 1982 a 1985 foram os mais produtivos da carreira de artista, época em que trabalhava no espaçoso ateliê em um porão no bairro de SoHo em Nova Iorque, ouvindo música e fumando maconha. Participou de grandes exposições com a ajuda de alguns curadores.

Características da obra de Basquiat

Basquiat que saltou da pichação anônima de muros para o estrelato no circuito das artes na metrópole americana, detestava a futilidade dos potenciais compradores que faziam filas para conhecer sua natureza selvagem. Basquiat fez colagens e pintou enormes quadros com mensagens escritas.

A arte de Jean-Michel Basquiat foi chamada de “primitivismo intelectualizado”, com tendência ao neoexpressionismo, que retrata corpos esqueléticos, rostos apavorados e mascarados.

Com cores fortes, entre suas obras destacam-se: os simbolismos caóticos em “Loin” (1982), a colagem de palavras e pedaços de corpos em “Early Moses (1983), a anatomia na imensa “The Field Next to the Other Road” (1986) e a tensão racial em “Procession” (1986).

Morte

Além de pintar, Basquiat tinha uma barulhenta banda experimental e viveu à maneira dos roqueiros famosos.

Após a morte de Andy Warhol, em 1987, Basquiat se sentiu perdido e começou a exagerar no consumo de drogas e morreu de uma overdose de heroína com cocaína com apenas 27 anos.

Jean-Michel Basquiat faleceu em Nova Iorque, Estados Unidos, no dia 12 de agosto de 1988.

Fonte: https://www.ebiografia.com/jean_michel_basquiat/

Por Dilva Frazão Biblioteconomista e professora

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *